quinta-feira, 29 de março de 2012

Cachecol passo-a-passo

     Numa das visitas à família do Alentejo, pedi à minha tia que me ensinasse a "fazer buracos" e saí de lá a saber fazer este ponto. 

     À primeira vista parece uma complicação de dar um nó na cabeça, mas é muito simples. Basta clicar na próxima imagem e têm o ponto passo-a-passo. Experimentem! O inverno já passou mas também pode ser feito numa linha fresca para a primavera ou para o verão.

Cinto/avental para materiais

     Este foi o primeiro que fiz, foi para o Daniel que há muito sonhava com este acessório.



     Depois, finalmente, fiz este para mim porque nesta profissão dá mesmo jeito ter tudo à mão. Sinto-me uma verdadeira cowgirl em pose de duelo: do que é que precisas? Um lápis, cola, borracha? E faço o disparo!!!

     Ele tem tudo, desde a teoria de Einstein, ao diagrama de Vehn, passando pelos planetas e pelos antigos castigos de escrever muitas vezes: "Não volto a falar nas aulas!"

Como o tecido tinha alguns, fiz este pormenor! Foi o ponto final para acabar!

quarta-feira, 28 de março de 2012

Mais uma certificação

     O Paulo fica todo entusiasmado quando encontra sinais da nossa opção biológica.

     Encontrámos esta maternidade de aranhas que não sobreviveria se houvesse químicos por cá.

Saia da Helena

     Ainda para a Helena fiz esta saia com um modelo escolhido por ela e com um tecido de Moçambique. Não fiquem a achar que por cá somos todos elegantes, a nossa manequim é que sofre de anorexia crónica!




Em tempos de crise, nada melhor do que poupar, por isso vamos adaptar!

     Antes de iniciarmos este projecto a dois, comecei um projecto a solo, o Vchapéus, onde já partilhei duas formas de voltar a usar peças danificadas, é só clicar nas imagens.




     Vão espreitar, pode ser que surja uma ideia para voltarem a usar peças danificadas e que guardaram não-sei-porquê (mas que estão à espera de uma vida nova)! Ou, se já não houver solução, pode-se sempre transformar num chapéu, como aconteceu a esta saia em lã que se transformou neste chapéu.
Uma saia estragada juntou-se ao xadrez!
Agora aquece uma cabeça "Clara" em Almodôvar.

Primavera


      Numa das idas ao Alentejo trouxemos rosmaninho e no ano passado secou todo. Este ano já encontrámos vários rebentos no espaço onde estavam. Adoramos o cheiro!

     Um dos nossos objectivos é contribuir para a biodiversidade e parece que este ano alguém gostou dos nossos ciprestes!

     O carvalho TD, que é como quem diz: o souvenir do casamento da Telma e do Daniel, está finalmente a salvo e saudável! Depois de uma machadada do avô do Paulo e cortado com a roçadora pelo próprio Paulo foi "transferido" para aqui onde finalmente pode crescer sem cortes!

     E assim está o espaço das árvores de fruto, carregado de flores e algumas já com frutos, são os albricoques, como se diz lá pelos Algarves, que é como quem diz: os alperces, que são a primeira fruta do verão.

      Começamos e acabamos com pequenos! Como diz o Paulo muito orgulhoso: aqui está a certificação da nossa horta!

terça-feira, 27 de março de 2012

Saco-cama do Melvin

     A Irina tinha um edredão infantil a mais e pediu-me (V) para adaptá-lo a um saco-cama para o Melvin. E não é que o rapaz ansiava pela hora de ir dormir para estar quentinho dentro dele?

     Para os rebordos do pescoço e das mangas usei fitas de algodão nas cores dos bonecos do padrão. Numa das alças coloquei duas molas para ser mais fácil enfiar a cabecita e tem um fecho até abaixo para o Melvin poder entrar facilmente até deixar de caber lá dentro!

Zafu


     O Paulo gosta de fazer actividades descontraídas com os alunos e pediu-me que fizesse este zafu e mais uns quantos para os alunos que não tivessem quem lhes fizesse os deles, só ainda não trouxe a fotografia que prometeu! 
     Como gosta de caracteres chineses tentou desenhar as iniciais do seu nome na pega do zafu dando ares a "tinta da China".


Saquinhos de alfazema

      Saquinhos de alfazema da nossa produção. Podem ser usados dentro das gavetas da roupa, não só dão um cheirinho maravilhoso, como também afastam os roedores de tecidos! Também pode ser usado à cabeceira da cama para ajudar a ter um sono tranquilo. Para nós fiz quatro triângulos, um para cada canto da cama.

- disponíveis em: branco, azul turquesa, beringela, rosa claro, laranja e lilás -

Saia da Celina

     A Celina tinha uma saia que eu adorei o modelo e pedi-lhe que ma emprestasse para fazer os moldes. Para lhe agradecer fiz-lhe esta saia com o mesmo modelo da primeira, ela só teve de escolher o tecido.

     Fiz este up-grade ao modelo: quatro flores de tecido (duas maiores e duas mais pequenas) que é como quem diz - a mãe Celina, o pai Sérgio, a filha Maria e o filho José.

E ao pequeno-almoço: torradas de azeite e canela

     O pequeno-almoço de hoje foi um sumo de banana, manga, morango, bagas gogi e sementes de linhaça com uma torradinha de azeite e canela. Azeite? Sim! São deliciosas e fáceis de fazer!

 Salpicar o pão torrado com azeite e polvilhar com canela, nada mais simples!

Esta receita era muito usada na família lá pelo sul.

(os nossos sumos ficam sempre com aspecto de batido porque não gostamos de os fazer nas tradicionais máquinas de sumo que separam a polpa da fruta, fazemos com a varinha mágica e assim aproveitamos tudo o que a fruta tem de bom)

Conjunto de verão



Saia e chapéu reversível com 
pregadeira de flores de tecido.

Desodorizante caseiro

     Há já algum tempo que um dos nossos objectivos era fazermos o nosso próprio desodorizante. Conhecemos a pessoa certa que nos deu esta receita e experimentámos. Por isso temos de agradecer à D. Clara pela partilha.





ingredientes:

- 2 colheres de sopa de bicarbonato de sódio
- 2 colheres de sopa de amido de milho
- 4 a 5 colheres de sopa de óleo de côco
- óleos essenciais (opcional)




preparação:

  Misturar o bicarbonato de sódio com o amido de milho numa taça. Adicionar o óleo de côco, uma colher de cada vez até os ingredientes estarem ligados - fica com um aspecto pastoso como mostra a fotografia. 
  Juntar umas gotinhas de óleo essencial (juntámos 5 gotinhas de óleo essencial de rosmaninho).
  Colocar num recipiente e está pronto a usar, basta espalhar nas axilas.

segunda-feira, 26 de março de 2012

Sempre actualizada!

     Comecei por fazer a mala mas com o mexer no tecido depressa se começaram a acender umas luzes por cima da minha cabeça. Quando isto acontece costumam sair umas coisas radicais, mas limito-se a usar o que me faz sentir bem.


domingo, 25 de março de 2012

Lanche antioxidante

Para o lanche preparei uma delícia antioxidante!

- iogurte grego (natural açucarado)
- banana cortada em rodelas
- morangos
- mirtilos
- amoras
- sementes de linhaça moídas
- pólen

Legumes no forno

 
     Esta receita foi-nos apresentada por um dos Antónios da nossa vida - o António Neves - um amigo vegetariano que numa das suas visitas de médico nos preparou esta iguaria. Ficámos rendidos! Hoje foi o nosso almoço e resolvemos partilhar a receita que esteve proibida pelo homem cá da casa por "enjoo de excesso"!

                                                    1                                                         2

1. Uma beringela cortada em quartos (ou em cubos - como preferirem).
2. Uma courgete também cortada em quartos.

                                                    3                                                        4

3. Cenouras cortadas em palitos ou às rodelas (como preferirem).
4. Cogumelos laminados (usámos cogumelos frescos).

                                                     5                                                       6 

5. Alho francês cortado às rodelas.
6. Tomate picado (como está fora da época usámos tomate do ano passado que costumamos picar e congelar).

                                                      7                                                       8

7. Cebola picada ou às rodelas.
8. Regar com azeite e levar ao forno.

                                                     9                                                      10

9. Entretanto cortar pão aos cubos.
10. Quando os legumes estiverem quase prontos mexer bem para os misturar.

                                                     11                                                   12

11. Dispor os cubos de pão por cima e levar novamente ao forno sem deixar tostar.
12. Cobrir com queijo mozzarella a gosto, temperar com orégãos e levar novamente ao forno, já desligado, para que o queijo derreta. A receita não leva sal, o queijo já é salgado e as ervas aromáticas ajudam a dar sabor sem sal.

     A receita pode ser acompanhada como preferirem, nós gostamos mais de acompanhar com esparguete. Não é costume fazermos menção a marcas mas temos de salientar o facto de já encontrarmos esparguete biológico de uma marca nacional. Quem opta por este tipo de alimentação sabe que a maior parte dos produtos são de origem estrangeira, mas felizmente já vão surgindo muitos produtos nacionais.




Bom apetite!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...