sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Meias em tricot

     Quando era miúda ficava fascinada a ver a minha bisavó a fazer meias com 5 agulhas. Se naquela altura 2 já eram uma verdadeira aventura... 5 seria um filme! Um dia pedi-lhe que me ensinasse mas de resposta obtive um: - Para que quer você aprender a fazer isto? - e continuei sem saber... hoje sei que é assim que se perdem muitas técnicas, tradições...
     Quando há uns tempos o Paulo me perguntou se conseguia fazer-lhe umas meias, a vontade de aprender voltou e quase como caído do céu, directamente para o meu colo, descobri o workshop de meias da Luísa.
     Lá encontrei uma professora inata e ainda um sábio porquê da resposta que obtive da avó Piedade.
     O workshop é composto por 2 aulas com 15 dias de intervalo para podermos fazer os trabalhos de casa (e ainda bem que assim foi já que conciliar o início do ano lectivo com o resto é obra!). Fiz o meu todinho e quando estiverem prontas prometo que as mostro aqui.
     Se quiserem aprender basta estarem atentos à página dos workshops e serem rápidos na inscrição. O espaço é agradável e bastante amplo e a companhia da melhor!

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Mafra gare


     Num destes fins-de-semana, ao regressarmos de Lisboa, fizemos um pequeno desvio no nosso percurso para visitarmos a estação de Mafra gare que, em 10 anos de Mafra, nunca tínhamos visitado!

     Apesar de pouco movimentada, ficámos espantados com o excelente estado de conservação e arranjos exteriores muito cuidados, ao contrário de algumas que já visitámos, deixadas ao abandono e aos ataques de vandalismo.


Pormenor de um poste de electricidade "à moda antiga".

     Toda a estação é revestida por painéis de azulejo alusivos à vila de Mafra (Palácio, Tapada, Jardim do Cerco...) e todos inteiros!



     O relógio em excelente estado de conservação. Mais uma vez se pode ver a (enorme) diferença com este.

As tradicionais casas-de-banho das estações de comboio.

     Ainda vimos um comboio passar, com destino às Caldas da Rainha, mas de facto o movimento é muito pouco já que, pelas janelas, pudemos ver o número (muito) reduzido de passageiros.

Pormenor de uma viga de ferro.

     Até o armazém de mercadorias se mantém em bom estado de conservação, pelo menos no exterior, já que o interior foi ocupado por uma grande família de pombos que se ouvem esvoaçar.

Pormenor do portão com carris.

      Recepção habitual para quem sai de um comboio nas estações em Portugal. 
     Há vários comboios diários entre Lisboa - Santa Apolónia e Caldas da Rainha, fica a sugestão a quem trabalha neste percurso para poupar combustível e voltar a ler um livro ou mesmo pôr o sono em dia!

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

3 chapéus: mãe e filhos


     Estes 3 chapéus seguiram para o Algarve, onde ainda poderão ser usados durante algum tempo, já que o sol por lá brilha, pelo menos até Outubro (ainda me lembro de ter passado um feriado do 5 de Outubro na praia!).

Chapéu para a mãe Lígia com abas largas e reversível.

Chapéu para a pequena Laura reversível.

Chapéu para o pequenino Bernardo, reversível.

Podem ver mais fotos aqui.

domingo, 22 de setembro de 2013

Figo-da-índia

     Das vezes que estivemos em Marrocos, para além dos figos da figueira, também vimos à venda figos-da-índia, mas com medo dos picos não nos atrevemos a provar.
     Voltámos a ser persuadidos por este fruto e na semana passada descobrimos uma forma de os apanhar e descascar e até receitas com a folha gigante que, quem já provou, diz saber a feijão verde.

     É muito comum ver esta planta usada para delimitar terrenos (quer-nos parecer que ninguém se atreveria a entrar!). 
     Tem sido ignorada pelos portugueses mas dela come-se o fruto, as folhas (muito usadas pelos mexicanos) e ainda se extrai um óleo das sementes muito usado em produtos de cosmética.
     No Algarve já estão a produzir em grande escala.

     É um fruto rico em açúcar, potássio, magnésio, cálcio e vitaminas (C, A, B1 e B2) e tem sido o nosso lanche dos últimos dias.

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Regresso à escola com Matemática divertida e saco personalizado

     Depois de um regresso à escola cheio de trabalho, regressamos também às partilhas. Desta vez com um jogo de madeira que faz as delícias dos mais pequenos, acompanhado de um saco personalizado, feito na Casa da Pucariça. Aqui ficam alguns:

Alice

Maria                                                        Melvin

Constança

Tiago                                                 Miguel

Rodrigo

    Um jogo que não só trabalha a matemática, como desenvolve a imaginação e a criatividade... onde o céu é o limite!
     Aqui ficam alguns exemplos de mosaicos/mandalas construídos pelos pequenos da zona de Sintra, verdadeiros fãs deste jogo de mil e uma possibilidades.






(este último é da autoria da Alice)

     Para personalizarem o vosso jogo, podem ver tecidos disponíveis aqui e enviar o pedido para: casadapucarica@gmail.com.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Chapéu para mais uma Beatriz

     A Beatriz é uma "princesa sueca" da Pucariça que conheci nestas férias. Agora que estão a chegar ao fim, ofereci-lhe este chapéu, com tecidos escolhidos por ela, para se lembrar dos dias em que me veio visitar. Podem ver mais fotos aqui.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...